Pânico: o que é, quais são os sintomas e o tratamento para o pânico?

O que é pânico

O pânico, um dos tipos dos transtornos de ansiedade. É uma psicopatologia que se manifesta por um ciclo de alterações psicológicas e físicas que se retroalimentam gerando extremo desconforto e sensação de morte iminente.

Do ponto de vista somático (corporal), com a ativação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, podem ocorrer várias alterações desconfortáveis (ex.: frequência cardíaca, pressão sanguínea).

Do ponto de vista psicológico há pensamentos (ex.: “isso não terá fim”, “estou ficando louco”, “vou morrer”), emoções (ex.: tristeza, desânimo, ansiedade, desesperança), comportamentos (ex.: evitar sair de casa, eleger cuidadores, mapear todos os serviços de emergência).

Tendo em vista que os fatores psicológicos e somáticos “alimentam-se” um do outro, o ataque de pânico forma um “ciclo psicopatológico” que chega ao “ponto crítico” com o “casamento” desses fatores o a pessoa acabar por acreditar que está morrendo.

O pânico, afeta de 1 a 2% da população.

Tende a surgir entre os 15 e os 30 anos de idade e acomete mais as mulheres que os homens (2 a 8 mulheres para cada homem).

Das pessoas que sofrem de pânico, 50 a 65% são acometidas de depressão grave (com risco de suicídio).

Estudos apontam que o transtorno do pânico tem uma tendência à cronicidade. Ou seja, sem tratamento adequado, a doença pode se instalar por toda a vida.

Como tratar a síndrome do pânico com estratégias científicas (e sem remédios)?

Existem várias táticas científicas para tratar o transtorno do pânico, entre elas destaco as seguintes:

Quer fazer parte do nosso grupo gratuito de como tratar doenças com estratégias científicas e sem remédio?

Então, visite o nosso grupo: https://www.facebook.com/groups/comotratar/

Palavras-chave: pânico, síndrome do pânico, ataque de pânico, transtorno do pânico, tratamento para o pânico.

Envie suas críticas,  dúvidas e sugestões clicando aqui.

Se essa informação lhe ajudou de alguma forma, escreva o seu comentário e compartilhe nas redes sociais. Assim, criaremos e promoveremos conhecimento.